RECEBA O CONTEÚDO DO BLOG NO SEU E-MAIL!

Como desenvolver soluções digitais mais inovadoras

Design Thinking | Publicado por Time MJV on 17/ago/2017 16:43:28

smellsliketeamspirit.png

O mundo está em pleno processo de transformação digital, o que requer ações inovadoras das empresas. Com isso, como se preparar efetivamente para as mudanças que estão ocorrendo? No que tange a criar e desenvolver produtos digitais mais relevantes, úteis e desejáveis para os usuários e consumidores finais, a combinação das ferramentas de Design Thinking e Scrum pode conferir bons resultados ao seu negócio.

A união destas abordagens possibilita conceber e implementar soluções digitais de alto valor. O pensamento inovador do Design Thinking e a utilização de um dos frameworks da abordagem ágil viabiliza maior assertividade, melhores insights e diminuição do retrabalho em um prazo de tempo menor que o de abordagens tradicionais. Porém, para chegar a este resultado, é preciso que a inovação seja disseminada como cultura entre as equipes, pois trata-se de um processo contínuo e colaborativo. Mas, uma vez ocorrida, os efeitos de sua aplicação são o engajamento, a entrega de resultados diferenciados e o valor agregado aos produtos ou serviços.

 

Vantagens do Design Thinking e Scrum

No desenvolvimento de um projeto, usar o Design Thinking é ótimo para descobrir qual é o problema. Já o Scrum, é bom caso você já saiba qual é o problema, mas não a solução exata. Por isso, a combinação das duas abordagens pode funcionar bem. O Design Thinking entra com a estratégia e o Scrum, com a implementação

Executivos do Conselho Tecnológico da Forbes apontam como benefícios da abordagem ágil o feedback rápido, a habilidade para adaptar-se à mudanças, problemas identificados com antecedência, priorização flexível e equipes com objetivos mais claros. Já as organizações que usam o Design Thinking para solucionar problemas e desenvolver produtos, abrangem a iteração, colaboração e empatia com os usuários, de acordo com um artigo da Harvard Business Review.

Para o Consultor de Inovação Henrique Locatelli, ao se falar em inovação e colaboração “a situação ideal seria Product Owner, Scrum Master, Design Thinker, Desenvolvedores e Analista de Negócios trabalhando em perfeita sintonia, falando a mesma língua e desenvolvendo algo realmente transformador”. Quando combinados, Design Thinking e Scrum tornam essa situação possível. Dentre as vantagens, estão:

  • Maior aderência às necessidades dos usuários
  • Maior alinhamento entre TI e negócios
  • Promove o engajamento dos Stakeholders
  • Maior assertividade dos requisitos de software a serem desenvolvidos
  • Redução do custo total de propriedade (TCO)
  • Entrega contínua

Além disso, a aplicação do Design Thinking e também do Scrum proporciona menores custos, pois compreende o erro como um fator que pode ocorrer cedo. Como a fase de Prototipagem do Design Thinking permite que sejam feitos testes antes de entregar o produto ou serviço, dificilmente há o problema de um erro ser identificado tardiamente, o que demandaria mais esforços e um custo maior para arcar com a solução. Porém, a prototipagem mitiga e valida o quão bem sucedidas serão as ideias, para que se desenvolva algo apenas em cima delas.

 

Case: Portal de Vendas de Tesouraria

Uma empresa do setor financeiro identificou a necessidade de uma plataforma digital para a equipe de vendas de sua Tesouraria, de modo que reunisse a maior quantidade de informações e ferramentas necessárias para aquele grupo e aumentasse o sucesso daquele negócio. A MJV teve como desafio desenhar os fundamentos de uma plataforma digital que fosse capaz de empoderar a equipe de vendas, aumentar  o volume, valor e qualidade das operações, garantindo flexibilidade, inteligência do sistema e aderência dos usuários.

A solução encontrada foi aplicar a abordagem do Design Thinking e a ágil, através do Scrum. Foi feito o desenho da jornada dos usuários em suas operações, identificando padrões, problemas e insights em cada etapa, o que provou ser fundamental para validar processos e garantir que todas as etapas foram consideradas na criação da solução. Com base nessa pesquisa, co-criação e posterior priorização de funcionalidades, foi gerado um protótipo navegável de interações estruturadas e wireframes. Por fim, foi feito o desenvolvimento do software em célula ágil com base nas necessidades do usuário, objetivo de negócio e viabilidade tecnológica.

Essa solução gerou impactos como:

- O fácil acesso a informações completas sobre os clientes e pendências a serem resolvidas

- Comunicação constante de oportunidades capaz de estimular uma postura pró-ativa em relação aos clientes

- Todas as operações disponíveis em um só lugar, com alertas de problemas, origem e situação

- Integração com uma ferramenta de precificação segura e expansível

- Centralização do processo de vendas, o que substituiu planilhas individuais

- A estrutura que pode fornecer a flexibilidade necessária para o planejamento de projeto e personalização de funcionalidades pelo usuário, atendendo às necessidades de operação dos mais de 4 mil produtos


Interessado em conhecer mais sobre os serviços oferecidos pela MJV? Entre em contato.

Categorias: Design Thinking

Nova call-to-action

Deixe seu comentário

Receba o conteúdo do blog no seu e-mail!