RECEBA O CONTEÚDO DO BLOG NO SEU E-MAIL!

Conheça a Sessão Generativa

Design Thinking | Publicado por Time MJV on 23/dez/2015 11:32:15

Conheça a Sessão Generativa - MJV Blog

A Sessão Generativa faz parte da fase de Imersão do Design Thinking, que traz uma infinidade de ferramentas de Inovação, como esta que vamos apresentar. Com essa técnica, é possível obter insights sobre o aspecto humano em sua profundidade, explorando os sentimentos e anseios até mesmo inconscientes dos indivíduos. 

A abordagem de inovação do Design, como você sabe, é centrada nos usuários. Por isso, essa técnica é extremamente valiosa para atingir e captar a essência dos seus stakeholders. Para conhecer mais dessas técnicas, é só baixar o nosso livro, ou continuar lendo esta postagem.

Sessão Generativa é um encontro no qual se convida os usuários (ou atores envolvidos no tema do projeto) para que dividam suas experiências e realizem juntos atividades nas quais expõem suas visões sobre os temas do projeto.

Visa entender o que sabem, sentem e sonham, muitas vezes de maneira tácita e latente. A sessão generativa é uma abordagem apropriada para obter uma visão geral dos usuários, incluindo-se, neste caso, suas experiências diárias em toda sua complexidade. 

Como organizar a sessão 

Cadernos de Sensibilização - Blog MJV

Distribui-se com alguma antecedência os cadernos de sensibilização aos usuários selecionados para participar da sessão. Os temas abordados nos exercícios são utilizados para que os participantes cheguem ao encontro envolvidos com o assunto.

No dia, são realizadas atividades generativas, ou seja, que busquem a construção e expressão de experiências através da criatividade e que ajudem o usuário a refletir sobre suas memórias, sentimentos e motivações.

Desta forma, ao longo da sessão, os participantes se sentem mais à vontade para tratar o tema abordado e falar com mais profundidade, já que pensaram no assunto durante os dias anteriores e estão criando artefatos que estimulam o diálogo e a reflexão.

A técnica permite, muitas vezes, um melhor entendimento das observações feitas ao longo das entrevistas etnográficas e pode, ainda, expor a complexidade e a riqueza das experiências pessoais no dia a dia.

Assista agora ao nosso vídeo que ilustra ainda melhor essa dinâmica:

 

Um exemplo de Sessão Generativa para usuários de caixa eletrônico bancário

Antes da Sessão

Num contexto em que se fazia necessário gerar inovação em caixas eletrônicos, foi realizada uma sessão generativa com treze clientes de diferentes bancos e perfis variados, como advogados, engenheiros, donas de casa, estudantes, dentre outros, para que dividissem suas experiências e construíssem em conjunto sua visão ideal para a experiência de autoatendimento.

Buscou-se um mix heterogêneo de pessoas, para que as opiniões pudessem ser variadas. A sessão foi organizada de modo a não formatar uma atividade de trabalho, mas sim um evento divertido e com atividades lúdicas para deixar os participantes à vontade para expressarem seus sentimentos quanto ao assunto. À medida que os convidados chegavam, eram oferecidos pizza e refrigerantes para criar um clima descontraído.

Início do encontro

A primeira atividade foi pensada para que os presentes se conhecessem. Eles foram convidados a apresentar a pessoa à esquerda, descrevendo, sem conhecê-la, características relativas à sua personalidade, profissão, local onde mora etc. A pessoa descrita confirmava ou discordava da história, e então caracterizava o participante ao lado. Essa dinâmica é útil para quebrar a resistência de conhecer pessoas, forçando-as a criar um estereótipo do colega, a ser confirmado na sequência da atividade.

Ao fim do “quebra gelo” inicial, os participantes já estavam familiarizados e sentiram-se confortáveis para dividir suas histórias sobre a relação com o caixa eletrônico. Estimulados por três temas apresentados (segurança, dificuldade e meu herói) fizeram relatos sobre situações diversas.

Auto representação

Quando as histórias terminaram, os participantes foram separados em três grupos - de acordo com seus relatos - e cada um ficou responsável por montar um painel com qualquer imagem que representasse um dos três temas tratados anteriormente (segurança, dificuldade e “meu herói”).

Exemplos 

Segurança: “É muito exposto, uma vitrine. Acho que vou ser assaltada!” “O caixa eletrônico nos denuncia: se você saca dinheiro, ele faz um barulho específico.” A equipe que tratou de segurança dividiu o painel em quatro grandes áreas: um eixo variando da segurança física (assaltos e furtos) para a psicológica, referente ao uso errôneo do caixa eletrônico, e no outro de segurança para insegurança.

Análise

Na área de segurança, foram colocados imagens associadas a:

1. Proteção de mãe, carinho e colo: imagens de colo, acolhimento e aconchego, momentos onde existe entrega total.

2. Segurança, que não pode falhar: a imagem de um absorvente íntimo foi usado para relatar um tipo situação na qual se faz necessário confiar plenamente, pois qualquer falha pode acarretar algo muito desagradável.

3.Socorro: as imagens remetiam à confiança em determinadas pessoas, como amigos e família, ressaltando a segurança pessoal. O celular foi indicado como um forte elemento de segurança, pois as pessoas raramente se distanciam mais de cinco metros do aparelho, o que permite se conectar aos amigos.

Categorias: Design Thinking

Design Thinking - Inovação em Negócios

Deixe seu comentário

Receba o conteúdo do blog no seu e-mail!

Posts recentes