RECEBA O CONTEÚDO DO BLOG NO SEU E-MAIL!

Design Sprint: saiba como aplicar a metodologia no seu projeto

Metodologia Lean | Publicado por Time MJV on 26/out/2017 18:14:29

design sprint team.jpg

Você busca soluções a curto prazo e ainda não conhece o Design Sprint? Utilizando premissas do Design Thinking, como imersão, ideação e prototipagem, esta metodologia agiliza e torna mais assertivo o desenvolvimento de projetos. Com uma abordagem prática e centrada no usuário, é ideal para quem busca resultados em pouco tempo.  

Entre as vantagens do Design Sprint também está prever falhas e antecipar melhorias devido à dinâmica de estar sempre elaborando e testando ideias, lançando o produto após certificar-se que está de acordo com os resultados esperados pela equipe. Essa aplicação da metodologia cria um ambiente de inovação e constante colaboração dentro da empresa.

Planejar antes de implementar

Essa primeira etapa consiste em formular um desafio específico sobre o qual o sprint estará centrado no projeto. Cabe ao Sprint Master definir uma proposta que seja inspiradora e curta, além de explicar a quais grupos de usuário a solução se destina. O Sprint Master é quem convida a equipe do sprint e programa os estudos com usuários para as seções de entendimento e validação do sprint. Além disso, ele também prepara os materiais e a sala que serão utilizados durante o sprint.

Para obter uma visão inicial ampla sobre o desafio, o sprint master entrevista os participantes da equipe do sprint levando em consideração as necessidades de negócio, a experiência do usuários e a aplicação prática da  tecnologia. Já os participantes, utilizam este tempo de preparação para estruturar um pitch de cinco minutos sobre o assunto, que é apresentado no primeiro dia de sprint ao grupo, fazendo com que diferentes perspectivas do desafio sejam compartilhadas.

 

As fases do sprint

Embora o Design Sprint aconteça em um curto espaço de tempo, ele é composto por algumas etapas essenciais para compreender os problemas a serem solucionados e enxergar novas possibilidades de melhorar o desenvolvimento do produto ou serviço.

 

Dia 1 - Entender e Definir

O primeiro dia é dedicado a entender o desafio e seus componentes como um todo. É importante que todos exteriorizem suas ideias já que, geralmente, o conhecimento está espalhado entre os membros. Stakeholders podem saber coisas que os desenvolvedores não sabem, por exemplo. Atividades podem ser propostas ao grupo para que todos estejam alinhados desde o início da sprint, o que é fundamental para o sucesso do projeto. Ao final do dia, os insights vão surgir. A partir deles, é produzida uma user story simples e o escopo para a semana.

 

Dia 2 - Divergir

O objetivo dessa etapa é exercitar o máximo de soluções possíveis, explorando quantas ideias forem possíveis. Diferentemente do processo de brainstorming, os componentes da equipe trabalham as soluções não em grupo, mas sozinhos. Cada um anota suas ideias em um papel para depois apresentar ao grupo e todos opinarem e votarem nas melhores ideias. A dinâmica ocorre dessa forma pois, segundo Jake Knapp (criador do design sprint), as melhores ideias costumam fluir individualmente e não em grupo.

 

Dia 3 - Decidir

Dia de filtrar e refinar as ideias geradas no dia anterior. Como não é possível prototipar todas, o time entra em acordo sobre a ideia que serão trabalhadas. Pode ser usada a técnica de priorização de decisões, chamada “dot voting”, em que cada pessoa tem direito a três votos, distribuídos nos itens da forma que desejarem. Essa dinâmica permite que o time selecione a melhor solução, trazendo, inclusive, as ideias mais inusitadas para o processo de decisão. Após a escolha, o grupo desenha um storyboard que funcione como um mapa do protótipo.

 

Dia 4 - Prototipar

O penúltimo dia exige o máximo da produtividade. Logo pela manhã, é importante planejar todas as atividades do dia, incluindo a função de cada um e o tempo estimado das atividades. O objetivo é construir um protótipo da ideia escolhida até o fim do dia, que  deve ser desenvolvido de forma fiel para o teste. Enquanto o protótipo é feito, parte da equipe prepara os testes do dia seguinte, tarefa que envolve convidar aqueles que serão entrevistados, preparar o roteiro etc.

 

Dia 5 - Validar

No último dia, o protótipo é mostrado aos potenciais usuários do produto, em sessões individuais. Nesse momento, eles vão interagir com o que foi desenvolvido e darão feedback em tempo real sobre as suas experiências. Ao final do dia, toda a equipe se reúne para discutir a informação fornecida pelos usuários e decidir se a ideia deve sobreviver ou ser reformulada.

 

Faça o download do material abaixo para ler mais à respeito do design sprint e como ele pode contribuir para um melhor desempenho do seu negócio.

Categorias: Metodologia Lean

um-dia-para-inovar

Deixe seu comentário

Receba o conteúdo do blog no seu e-mail!

Posts recentes