RECEBA O CONTEÚDO DO BLOG NO SEU E-MAIL!

Design Thinking: aplicando o Mapa Conceitual

Design Thinking | Publicado por Time MJV on 2/mar/2016 14:55:59

Como você já sabe, o Design Thinking é uma metodologia poderosa de inovação que pode ser aplicada em todas as áreas. Aqui em nosso blog, toda semana disponibilizamos conteúdo sobre uma ferramenta das etapas de imersão, análise e síntese, prototipagem e implementação.

Nesta postagem você vai conhecer o Mapa Conceitual, uma eficiente ferramenta de análise e síntese de informações.

Design Thinking: aplicando o Mapa Conceitual - Blog MJV

O que é ?

É uma visualização gráfica, construída para simplificar e organizar visualmente dados complexos de campo, em diferentes níveis de profundidade e abstração.

Seu objetivo é ilustrar os elos entre os dados e, assim, permitir que novos significados sejam extraídos das informações levantadas nas etapas iniciais da fase de Imersão, principalmente a partir das associações entre elas.

Quando usar?

Durante a fase de Imersão, para estruturar os dados de campo enquanto se realiza o debriefing diário ou semanal do projeto, agilizando uma posterior e mais completa análise ou, ainda, para facilitar a comunicação dos dados para a equipe e propiciando a colaboração durante o processo.

A representação essencialmente gráfica do mapa conceitual possibilita a visualização dos dados de maneira mais rápida e holística, facilitando a compreensão de informações complexas nos seus diferentes níveis.

Por isso, pode ser utilizado também para comunicar a síntese da pesquisa, possibilitando que terceiros contribuam com desdobramentos. Além disso, o mapa conceitual pode ser usado como base para geração de ideias.

Inicia-se o processo elencando palavras que façam parte do universo central da pesquisa. Em seguida, constrói-se uma frase-mãe que sintetiza a ação central e os atores envolvidos no tema. Essa frase será a base das ramificações e desdobramentos a partir dos dados coletados na fase de Imersão, podendo ser modificada ou incrementada ao longo do processo.

Exemplo — Mapa conceitual para redesenho da experiência de um caixa eletrônico

No exercício de redesenhar a experiência de um caixa eletrônico de banco, o mapa conceitual foi utilizado como uma ferramenta de debriefing e análise das pesquisas de campo e da Pesquisa Desk.

Para tal, foi estruturada a frase “Os correntistas do Banco utilizam o caixa eletrônico para OBTER e/ou CONSULTAR e/ou FORNECER dinheiro”, que representava o universo do tema pesquisado.

A frase foi construída de forma a incluir o usuário pesquisado (o correntista), o produto de estudo (o caixa eletrônico) e as ações que são realizadas (obter, consultar e/ou fornecer) para o que se necessita (o dinheiro).

A sentença ficou escrita em um grande quadro durante todo o período do projeto. Assim, todas as vezes que alguém da equipe voltava de campo com algum insight, era só escrevê-lo em um Post it e colá-lo no espaço designado, relacionando-o a alguma palavra. 

O mesmo acontecia com achados da Pesquisa Desk. Como a exibição da frase era clara, simples e colocava em evidência os achados e insights que as circunscreviam, estimulava-se a colaboração da equipe e do cliente. Principalmente em momentos de debriefing e reuniões colaborativas.

Esse estímulo para a colaboração através de uma visualização permitiu a estruturação e correlação dos dados, além da elaboração dos desafios a serem alcançados no projeto.

Categorias: Design Thinking

Design Thinking - Inovação em Negócios

Deixe seu comentário

Receba o conteúdo do blog no seu e-mail!

Posts recentes