RECEBA O CONTEÚDO DO BLOG NO SEU E-MAIL!

Design Thinking e Metodologia Lean: Veja como aplicar essas ferramentas ao seu negócio

Design Thinking, Metodologia Lean | Publicado por Time MJV on 15/jun/2017 13:30:00

startup-photos.jpg

Enfrentar desafios em um negócio pode ser mais simples quando utilizadas as ferramentas corretas. Mas você sabe como fazer essa escolha? Para definir as mudanças necessárias para superar eventuais dificuldades é preciso conhecer os objetivos da sua empresa. Nesse contexto, Design Thinking e Lean são abordagens úteis e aplicáveis a diferentes tipos de negócios. Conheça as principais semelhanças e diferenças entre elas e faça a escolha mais adequada para o seu negócio.

Design Thinking é a abordagem que busca a solução de problemas através da empatia com os stakeholders (interessados), da criatividade na geração de insights e soluções e da racionalidade na análise e montagem de respostas ao problema. A ferramenta tem como objetivo produzir soluções que gerem novos significados e estimulem os diversos aspectos (cognitivo, emocional e sensorial) envolvidos na experiência humana. Por meio do design thinking, são utilizadas estratégias que vão atender às necessidades das pessoas junto ao que é tecnologicamente viável.

Embora o nome “design” seja frequentemente associado à qualidade e\ou aparência estética de produtos, como disciplina, o Design Thinking lida com diferentes significados e visa promover o bem-estar na vida das pessoas de forma abrangente. A inovação guiada pelo design chama a atenção, não só para os fatores tecnológicos e mercadológicos - de focar no desenvolvimento ou integração de novas tecnologias e na abertura e\ou atendimento a novos mercados -, mas também para a importância de introduzir novos significados aos produtos, serviços ou relacionamentos. Afinal, “as coisas devem ter forma para serem vistas, mas devem fazer sentido para serem entendidas e usadas” (Krippendorf, 1989).

Sendo assim, o Design Thinking pretende entender culturas, experiências, emoções, pensamentos e comportamentos de forma a reunir informações para inspirar um projeto. Para chegar neste estágio é preciso operar as três fases do Design Thinking: Imersão, Ideação e Prototipação. Dessa forma, é possível conhecer profundamente o seu público-alvo, investigar problemas, descobrir oportunidades, além de construir, testar e implantar soluções geradas ao longo do processo.

 

BAIXE O LIVRO DESIGN THINKING - INOVAÇÃO EM NEGÓCIOS E GANHE UM TOOLKIT DE DESIGN THINKING


Por outro lado, a
Metodologia Lean entende como resolução de problemas a eliminação de toda e qualquer prática de desperdício, agregando valor durante a fase de desenvolvimento de um produto. Assim, as chances de um negócio obter sucesso são maiores, sem precisar recorrer a montantes de financiamento externo ou elaborar o produto “perfeito”.

A participação do consumidor é fundamental nessa abordagem. O produto precisa ser construído e desenvolvido em parceria com ele, identificando quem é esse cliente, o que ele quer e moldando o produto que lhe será destinado. Isso pode ser feito construindo um mapa da jornada do usuário, descrevendo em detalhes o relacionamento da empresa com o seu cliente para identificar falhas ou novas oportunidades de melhorar a experiência do seu cliente com a empresa.

A abordagem da metodologia lean é sobre reduzir os riscos, o que às vezes requer mudar uma ideia já formada. “A Lean Startup é sobre minimizar desperdícios, então você terá dois ou três fundadores trabalhando para desenvolver um produto. Eles trabalharão para provar uma ideia. Com sorte, isso levará a investimentos, o que os permitirá provar outras ideias. Através desse aprendizado validado, a equipe cresce ao longo do processo conforme o produto e o negócio progridem”, afirma Eric Ries, empreendedor do Vale do Silício e reconhecido por criar o movimento que orienta a aplicação da metodologia Lean em startups.

A metodologia Lean pode ser aplicada quando o orçamento e o tempo são limitados para o desenvolvimento de novos negócios, quando é necessário gerar novos negócios em ambientes de extrema incerteza ou um projeto é gerenciado com foco no resultado do negócio e não no controle de implementação das suas funcionalidades, entre outras possibilidades. Além de reduzir os custos e eliminar o desperdício, o Lean também agrega valor ao cliente, proporciona o gerenciamento de informações de forma mais simples e precisa, cria processos que necessitam de menos espaço, capital, tempo e esforço humano para produzir; reduzindo os riscos de defeitos nos produtos ou serviços em comparação aos sistemas comerciais tradicionais.

 

 Design Thinking vs Lean

tabela - dt - png.pngFonte: ResearchGate

 As semelhanças entre ambos os métodos são: o fomento à inovação, foco no usuário, redução de custos na prototipagem e rápido aprendizado. Já as diferenças, são: o Design Thinking é intuitivo, observa para descobrir necessidades não atendidas, os usuários são pessoas e seu objetivo é resolver problemas. Já o Lean é analítico, começa com a visão do fundador, os usuários são clientes e o seu objetivo é desenvolver um modelo de negócio.

 Escolher entre a metodologia Lean ou o Design Thinking depende muito do que você deseja fazer: construir o produto, testá-lo e, então, pivotá-lo ou deixar o problema anteceder a existência do produto? Dadas as informações, questione quais são as metas do seu negócio, quais os principais desafios a serem superados e avalie qual metodologia está em maior conformidade com os seus objetivos.

Categorias: Design Thinking, Metodologia Lean

Nova call-to-action

Deixe seu comentário

Receba o conteúdo do blog no seu e-mail!

Posts recentes