RECEBA O CONTEÚDO DO BLOG NO SEU E-MAIL!

Inovação no setor da saúde melhora a experiência do usuário

Design Thinking, Jornada do Usuário, Cultura de Inovação | Publicado por Time MJV on 21/set/2017 18:48:39

ABIMO-participa-de-talk-show-sobre-saúde-tecnologia-e-inovação.png

Nos últimos anos, hospitais têm se tornado cada vez mais adaptativos e inovadores, investindo em tecnologias como: Telemedicina, Nanomedicina, Wearable, entre outros. Além de contribuir para a eficiência dos procedimentos médicos, estes recursos agregam valor ao paciente, melhoram o desempenho dos serviços de saúde e trazem impacto positivo para o desenvolvimento econômico do setor.

A utilização de tecnologias inovadoras no setor da Saúde pode contribuir de diferentes formas  para a experiência do paciente. Através da Telemedicina, por exemplo, moradores de áreas remotas podem receber atendimento médico. Com o uso de dispositivos wearable de mobile health, é possível fazer o monitoramento da própria saúde, entre outras vantagens. O campo da saúde está se transformando, assim como a qualidade de vida do usuário.


Cresce o debate sobre a importância da inovação na saúde

A discussão acerca dos avanços tecnológicos na saúde tem crescido consideravelmente entre pesquisadores e profissionais da área. Pensar inovação tecnológica na saúde é analisar seus desafios e oportunidades, com foco no aumento da produtividade, mas principalmente, nos benefícios que podem ser proporcionados ao paciente.

Temas como o uso de big data no setor, aparelhos e medicamentos do amanhã e administração de custos e qualidades são frequentes em veículos de comunicação, publicações especializadas e até em eventos específicos, como o  Summit Saúde Brasil, em São Paulo, que aconteceu este ano, em São Paulo.

Um dos destaques feitos pelos especialistas da conferência é a necessidade de, num futuro próximo, unir esses avanços com a otimização de recursos e o amplo acesso e interação da população. “Quando você pensa no futuro, fala de personalização. Já é realidade: você faz um teste, detecta mutações que tem e consegue individualizar o tratamento. Esse é o futuro da medicina” afirmou Rolf Hoenger, presidente da Roche Farma Brasil, em entrevista ao Estadão.

 

Tendências tecnológicas na área da saúde

A inovação nesse setor pode representar tanto a busca de melhorias para a redução de custos como a adoção de novas tecnologias, ambos impactando na experiência do paciente com relação ao serviço médico. No atual contexto de crise econômica, uma alternativa é, por exemplo, a informatização da logística para o deslocamento de remédios e insumos em hospitais; de estratégias de gamificação, como o lançamento de aplicativos, para engajar os usuários a buscarem atendimento promovendo maior interação com os médicos; entre outras propostas que visam a redução do risco de erros e a diminuição de desperdícios.

No que se refere às tendências tecnológicas de maior evidência no país, o professor Alex Lucena, do Laboratório de Engenharia de Software do Centro Técnico Científico da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), em entrevista à EBC, destaca: Telemedicina; “Mobile health” ou “m-health”; prontuários eletrônicos; big data/analytics (dados); e Internet das Coisas (IoT). Segundo ele, a tecnologia tem afetado a área da saúde “fazendo com que as pessoas vivam mais tempo, com mais qualidade, melhorando a relação com os cuidados que se tem e os diversos atores, como hospitais, laboratórios e clínicas”.


A seguir, entenda quais são essas tecnologias e de que forma beneficiam os pacientes:


    • Telemedicina: abrange toda a prática médica realizada à distância através de instrumentos digitais como computadores, vídeos conferências, celulares e até robôs. A Telemedicina é fundamental para aqueles que moram em áreas de difícil acesso a serviços de saúde, geralmente disponíveis em maior número nos grandes centros urbanos.
    • Mobile health: união entre saúde e dispositivos móveis, geralmente aplicativos. O m-health visa a diminuição de barreiras entre os serviços de saúde e a população por meio da tecnologia. Além de facilitar, por exemplo, o agendamento de consultas, permite ao próprio usuário monitorar a sua saúde.
    • Prontuários eletrônicos: é um modelo de prontuário médico digital padronizado, uma alternativa ao armazenamento em papel. Com isso, não há a necessidade do usuário se deslocar para ter acesso às informações, podendo obter do seu próprio celular ou outro dispositivo digital.
    • Analytics (dados): conceito de análise estatística dos dados que envolve modelagem preditiva, data mining (mineração dos dados) e forecasting (previsão). Tem como principais vantagens a melhoria nos cuidados dos pacientes, na monitoração da saúde digital, na transparência dos subsídios governamentais, a redução de desperdícios e custos e a pesquisa e desenvolvimento da indústria farmacêutica.
    • Internet das Coisas: refere-se à conexão de todos os tipos de dispositivos que possam coletar, transmitir e compartilhar dados na internet. Contribui no diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças de forma mais eficiente.
    • Wearables: são dispositivos que podem ser facilmente acoplados ao nosso corpo (como pulseiras, relógios etc). Possuem hardwares que utilizam tecnologias que captam dados e melhoram a experiência do usuário em diferentes aspectos.
    • Nanomedicina: é a junção da Medicina e da Nanotecnologia. Consiste em usar nanopartículas, nanorrobôs e outros elementos em escala nanométrica para curar, diagnosticar ou prevenir doenças.

Interessado em conhecer cases de inovação tecnológica utilizadas no setor da Saúde? Faça o download do ebook abaixo!

Categorias: Design Thinking, Jornada do Usuário, Cultura de Inovação

Nova call-to-action

Deixe seu comentário

Receba o conteúdo do blog no seu e-mail!

Posts recentes