RECEBA O CONTEÚDO DO BLOG NO SEU E-MAIL!

Metodologia Lean: como evitar os 8 tipos de desperdícios nas empresas

Métodos Ágeis | Publicado por Time MJV on 3/abr/2018 17:22:46

simson-petrol-133138-unsplashDesperdício não é uma palavra bem-vinda no mundo dos negócios. Mas é possível evitar que aconteça? E como propor melhorias, para que não volte a ocorrer? O Modelo Lean é especialmente importante no sentido de aumentar a produtividade e entregar mais valor ao cliente final. A metodologia define e age em diferentes tipos de desperdício, adaptável para diversos modelos de negócio.

A seguir, saiba como evitar os 8 tipos de desperdício do Método Lean.  

1 - Defeitos e retrabalho

Defeitos e erros são grandes fontes de desperdício nos negócios, já que levam ao retrabalho. Refazer o que já foi feito pode necessitar de novos investimentos em: recursos, matéria-prima, logística de transporte, etc. O retrabalho acaba aumentando os custos da produção, já que não vai ser repassado ao cliente.

O ideal é focar no controle de qualidade, evitando as falhas que se transformarão em fontes de erro, e consequente retrabalho.

2 - Excesso de produção

Cliente satisfeito significa dinheiro no bolso. Não é bem assim… Esforços empregados, sem estratégia para “agradar” o cliente, podem aumentar os custos e não, necessariamente, entregar mais valor ao consumidor. Quando uma empresa implementa muitos processos, em especial os burocráticos e que não podem ser percebidos pelo cliente, é possível que aumentem o tempo e custo final de produção.

Para evitar o super processamento, a organização deve estudar os processos e fluxos de trabalho, mensurando o quanto cada atividade influencia no resultado final. Também é preciso analisar quanto esforço pode ser percebido como valor pelo cliente final.

3 - Processamento Impróprio

São os defeitos ou limitações que afetam o processamento. A produção pode parar ou passa a se desenvolver de forma muito lenta. Nesse contexto, equipamentos deixam de funcionar, outras áreas ou setores precisam “apagar incêndios”, resolver o que não estava previsto. E estas novas demandas inserem processos extras.

Para evitar este tipo de desperdício, é preciso investir em manutenção e garantir que a equipe possua equipamentos corretos para o desenvolvimento de suas atividades.

4 - Movimentos desnecessários

É o desperdício que ocorre com o trânsito de pessoas que não precisaria existir. Acontece quando o colaborador precisa se movimentar para concluir etapas do desenvolvimento, como, por exemplo, participar de reuniões em outro prédio da corporação.

Para coibir a movimentação desnecessária, é preciso repensar as estratégias de comunicação, evitando, entre outros deslocamentos, as reuniões que poderiam ser resolvidas com um e-mail bem redigido.

5 - Transporte

É o tipo de desperdício que ocorre quando existe algum tipo de movimentação para que o passo seguinte do processo seja iniciado. Ele acontece quando é preciso mover produtos ou pessoas entre localidades. O correto é que, ao longo do processamento, o transporte aconteça em uma única direção, a caminho do cliente final.

Para que não haja nenhum tipo de movimentação desnecessária, é preciso investir logística (de transporte, estoque, etc), evitando traçar rotas conflitantes entre os setores ou linhas de produção.

6 - Excesso de estoque

Acontece quando uma empresa produz produtos além da capacidade de venda imediata. Além de necessitar de espaço para armazenamento, o estoque em excesso pode ser danificado, se tornar obsoleto com o passar do tempo ou ultrapassar o prazo de validade, dependendo do que será comercializado.

Para a filosofia Lean, o ideal é evitar manter estoque além da demanda, tanto do produto final, quanto de matéria-prima, já que os efeitos danosos ao processo são os mesmos. Outra questão é que quanto menos estoque houver, menor será o esforço para resolver, caso um lote esteja defeituoso, por exemplo. Com estoque reduzido é muito mais fácil resolver e reparar possíveis danos.

7 - Intelectual (Pessoas)

É o desperdício de capital humano. Acontece quando o colaborador é subutilizado, exercendo funções aquém da sua capacidade. Profissionais estimulados produzem mais e melhor, logo, talentos desperdiçados não terão a mesma produtividade. Este tipo de desperdício não é tão perceptível quanto os outros, mas afeta intimamente a produtividade e a qualidade final da produção.

A gestão por competências pode solucionar este tipo de desperdício, alocando os colaboradores de acordo com os objetivos da empresa, evitando que equipes sejam achatadas ou esvaziadas.

8 - Espera

É o tempo de espera que o cliente final não enxerga como valor. Por exemplo, quando o consumidor encomenda um produto feito sob medida, sabe que vai aguardar mais para receber um produto exclusivo e de máxima qualidade. Por outro lado, o atendimento em um fast food precisa estar de acordo com o que se propõe: entregar lanches em um espaço curtíssimo de tempo.

Eliminar o tempo de espera, que não agrega valor, é possível quando não há ruídos na comunicação interna. Sincronizar tarefas, e colocar em prática a priorização, também evitam que o desperdício de tempo chegue ao consumidor final.

 

Agora que você já compreendeu como evitar os 8 desperdícios que a Filosofia Lean apregoa, acesse gratuitamente o nosso e-book Método Lean: o que é e por que aplicar na sua empresa:

Categorias: Métodos Ágeis

QUERO COMBATER O DESPERDÍCIO NA MINHA EMPRESA

Deixe seu comentário

Receba o conteúdo do blog no seu e-mail!

Posts recentes