RECEBA O CONTEÚDO DO BLOG NO SEU E-MAIL!

MJV e Cefet/RJ desenvolvem soluções inovadoras no Hackathon sobre Arduíno

Internet das Coisas | Publicado por Time MJV on 15/abr/2014 21:00:00

Hackathon sobre Arduíno - MJV

A MJV, em parceria com o Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca do Rio de Janeiro (Cefet/RJ), promoveu o Hackathon sobre Arduíno, uma maratona criativa em que pessoas de diferentes áreas colaboram intensamente em projetos voltados à tecnologia. Durante os dias 10 e 11 de abril, 13 estudantes da instituição de ensino e nossos colaboradores trabalharam, no Laboratório de Prototipação da MJV, quatro temas: "Transporte público", "Compras", "Filas" e "Comandar a casa de longe".

Antes de os participantes colocarem a "mão na massa", o diretor de Tecnologia da MJV Ricardo Sepulveda fez uma apresentação sobre Arduíno, até então completamente desconhecido pelos alunos de Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Telecomunicações, Engenharia Eletrônica e Ciência da Computação.

Apresentação do diretor de Tecnologia da MJV Ricardo Sepulveda

Vamos compartilhar com você parte da apresentação sobre essa ferramenta poderosa de prototipagem eletrônica!

Principal finalidade do Arduíno:

Facilitar a prototipagem, implementação ou emulação do controle de sistemas interativos.

Algumas partes do Arduíno:

- Porta USB;
- Entradas e saídas digitais;
- Portas analógicas (leem de zero a 5 volts).

Diferentes tipos de Arduíno:

- Sensores (leitura de temperatura e umidade);
- Atuadores (equipamentos elétricos);
- Softwares.

O que pode ser feito com um Arduíno?

- Desenvolvimento de aplicativos que conseguem se conectar com o Arduíno;
- Desenvolvimento de ferramentas para o segmento automotivo;
- Desenvolvimento de protótipos de drones.

Soluções de desafios utilizando o Arduíno

Desenvolvendo soluções com o Arduíno - MJV

1) Transporte público

Já inteiradas sobre o Arduíno, as equipes mergulharam no universo de cada tema e definiram desafios específicos, com foco na busca por suas soluções. O primeiro time ateve-se a resolver um dos problemas relativos ao motorista de ônibus. Muitas vezes, por não ver o passageiro, ele fecha a porta do veículo, e acaba causando acidentes. Foi desenvolvido, então, um mecanismo que impede o fechamento da porta tanto no momento da subida quanto no da descida do ônibus. O sistema é composto por lasers e sensores de recepção e de som disponibilizados no painel do motorista.

2) Compras

O segundo protótipo visava ajudar pessoas que perdem muito tempo fazendo compras físicas. Ele consiste num painel localizado na entrada do estabelecimento, ou pode ser um aplicativo mobile, em que, ao dizer quais produtos se quer comprar, é gerada a "rota" mais rápida a se fazer. Além dos benefícios já citados, ele também é útil para alguns segmentos varejistas nos quais se quer um fluxo maior e mais rápido, e não maior tempo de permanência de cada cliente no local.

Prototipando com o Arduíno - MJV

3) Filas

A terceira ideia foi focada em filas de modo geral. O objetivo era passar com precisão quanto tempo demoraria desde o momento em que a pessoa entrou na fila até seu atendimento. Como funciona? São colocados sensores na posição de "entrada na fila" que marcam o momento inicial de espera. A partir daí, é rodado um relógio que só para quando essa mesma pessoa passa entre os sensores de "saída da fila". Uma vez com o tempo de uma pessoa do início ao fim do processo, ele é multiplicado pelo número de pessoas na fila e mostrado num display: 1) O tempo unitário da amostra e 2) O tempo estimado considerando o número de pessoas que estão na fila.

4) Comandar a casa de longe

A última equipe foi a que gerou o protótipo mais "pronto" para ser usado. Eles criaram um produto que, por meio do celular ou de algum computador, em qualquer lugar, permite ligar ou desligar aparelhos eletrônicos que estão em casa. Explicando por alto: os aparelhos (ou cômodos inteiros da casa) ficam conectados a um computador em casa, por meio de um Arduíno. O usuário com um aplicativo mobile ou com um computador manda uma ordem para o PC que está em casa, e este a executa automaticamente. Uma ordem poderia ser: desligar todos os equipamentos da sala, ou ligar o ar-condicionado do quarto.

Movimento Garagem MJV

Inovação. Substantivo feminino. Múltiplos significados. Entre eles, ineditismo. A MJV busca diariamente o novo em seus processos e produtos. Essa é a nossa marca. E para torná-la ainda mais consistente, iniciativas têm sido criadas dentro do espaço interno da empresa como, por exemplo, o Movimento Garagem MJV.

Mas o que isso seria? Uma forma especial de cada funcionário pensar os desafios de sua área e sua rotina de trabalho sob uma ótica diferente, propondo ideias alternativas, que podem revolucionar os processos internos e virar cases de sucesso na empresa. O Garagem é um movimento que torna o empreendedorismo uma cultura na MJV, e o Hackathon é uma das várias atividades que o integram.

Categorias: Internet das Coisas

Deixe seu comentário

Receba o conteúdo do blog no seu e-mail!

Posts recentes