RECEBA O CONTEÚDO DO BLOG NO SEU E-MAIL!

5 aplicações de realidade virtual no varejo

Transformação Digital | Publicado por Time MJV on 5/out/2017 16:15:53

consumidor-futuro-2030.jpg

 

Novas tecnologias imersivas vão muito além da aplicação no mundo dos games. Hoje, essas inovações já são responsáveis por verdadeiras revoluções em diferentes setores. Empresas de grande relevância no setor varejista têm enxergado no uso de tecnologias imersivas a oportunidade de revolucionar a experiência do cliente com suas marcas.

Empresas de varejo que fazem uso da realidade virtual e aumentada podem ter encontrado uma forma inovadora e disruptiva para se destacar, engajar o público e desenvolver um sólido relacionamento com seus clientes. E as pesquisas reforçam a importância dessa vertente tecnológica. De acordo com um relatório da empresa americana Digi-Capital, até 2021, a realidade virtual deve movimentar globalmente cerca de US$ 108 bilhões.

 

Mas quais são os benefícios para a empresa e seu consumidor final?

Uma das principais razões da adoção da tecnologia de realidade virtual pelo varejo está em aproximar o cliente da marca, facilitando o seu processo de compra. Para o usuário, a vantagem está em uma experiência diferenciada, lúdica e multissensorial para realizar uma compra; podendo, por exemplo, navegar por meio de óculos V.R. no ambiente e interagir com as diferentes opções disponíveis antes da decisão de compra.

Para a empresa, a vantagem está no que o uso desta tecnologia pode proporcionar. Não só em termos de engajamento, mas também de obtenção de dados sobre os passos decisivos tomados pelo consumidor, que o conduzem ao momento da compra. Com essas informações em mãos, a empresa pode traçar estratégias que melhorem seu posicionamento no mercado, bem como suas vendas.

 

Whitepaper Gratuito: Realidade Virtual e a experiência do consumidor no varejo

Entenda como a tecnologia imersiva irá revolucionar o processo de compra

Experiência centrada no usuário é o que marca a realidade virtual

A experiência digital de promover imersão e interatividade ajuda também a educar o usuário sobre a empresa, seus serviços e produtos, “moldando” o seu comportamento de compra no varejo físico. Por exemplo, uma empresa pode aliar a dinâmica da gamificação com a realidade virtual para recriar um ambiente que percorra os espaços de produção de um produto. Além de ser útil, a inovação  desperta o interesse e faz com o que o cliente desenvolva um vínculo emocional com a mercadoria, aumentando as chances de engajar outros consumidores.

É importante que as empresas estejam atentas à criação de produtos ou serviços cada vez mais personalizados e práticas que estimulem os sentidos e gerem sensação de prazer e bem-estar com enfoque no usuário. Veja, a seguir, exemplos de aplicações da realidade virtual e aumentada no varejo:

 

  • Loja virtual de departamentos

Uma loja de departamentos australiana, em parceria com uma empresa de comércio eletrônico, criou a primeira loja do setor com realidade virtual. As empresas desenvolveram um aplicativo para que os clientes possam ter a experiência através de seus smartphones, utilizando apenas o óculo de V.R. feito de papelão.

Em qualquer lugar, o usuário pode utilizar o óculos junto com o aplicativo e escolher entre mais de 1,5 mil produtos vendidos nas lojas físicas. Toda a navegação pela loja, incluindo a seleção dos produtos, é feita apenas com o movimento dos olhos. O consumidor ainda pode selecionar suas áreas de interesse, ajudando o aplicativo a customizar o serviço a oferecer primeiro os itens mais interessantes para o usuário.

 

  • Decoração interativa

Uma empresa sueca especializada em venda de móveis domésticos a baixo custo apostou na realidade aumentada para que seus clientes tenham noção de como os produtos ofertados ficam em sua própria casa. A experiência de compra se torna lúdica e interativa, aumentando as chances de comprar mais itens, elevando o ticket médio.

 

  • Compras com óculos VR

Uma empresa italiana criou uma experiência de compra, através de realidade virtual, para os clientes de um supermercado. Entre os benefícios, estão: escolher virtualmente o produto, comparar preços, saber quais são os ingredientes de uma receita específica e, até mesmo, ter acesso às informações de produtos consumidos por conhecidos.

 

  • Capacitação lúdica de funcionários

Nos Estados Unidos, uma das maiores varejistas do mundo decidiu usar a realidade virtual para capacitar seus funcionários e, assim, melhorar a experiência de compra do consumidor final. No treinamento, os colaboradores da empresa utilizaram óculos especiais e fones de ouvidos para simular o cotidiano nas lojas, sem precisar sair da sala. Durante a simulação das atividades, que variam de atender multidões em férias ou fazer a limpeza do ambiente, o instrutor e os demais avaliam o desempenho do futuro funcionário em uma tela de vídeo durante a aula.

 

  • Maquete 3D

Uma grande empresa brasileira fabricante de piscinas em fibra de vidro oferece aos seus possíveis clientes a oportunidade de visualizarem, por meio de óculos de realidade virtual, como o quintal de suas casas ficariam após a compra e instalação da piscina. A ferramenta auxilia o consumidor, que pode ter uma visão perfeita de como ficará sua piscina no local escolhido; o franqueado, que não terá problemas futuros sobre a localização da instalação, e também ao arquiteto, já que facilita o desenho do ambiente.

 

Já existem muitas aplicações para as tecnologias imersivas, como a realidade virtual, em diferentes mercados. E conforme surgem inovações, elas podem ser agregadas ao varejo, aprimorando a experiência do consumidor e o relacionamento com a marca. Você pode conferir mais sobre o tema fazendo o download do ebook abaixo.

Categorias: Transformação Digital

whitepaper realidade virtual e experiência do consumidor no varejo

Deixe seu comentário

Receba o conteúdo do blog no seu e-mail!

Posts recentes